Conseguir acertar no modelo do scooter pode ser uma tarefa difícil, já que tudo irá depender de como você usará. Bastante popular na Europa, esses veículos de duas rodas também caíram nas graças do brasileiro. Além de práticos, econômicos, ágeis e fáceis de pilotar, contam com um bom espaço para bagagens e um grande conforto para quem dirige. 

Se você está pensando em adquirir um scooter, recomendamos que você escolha o modelo que melhor se encaixe em seu perfil de uso. Leve em conta se ele será usado para rodar apenas na cidade ou para deslocamentos de uma cidade a outra.

Para lhe ajudar nessa tarefa, separamos dicas de scooters para uso na cidade ou na estrada. Confira logo abaixo!

Para uso na cidade

Scooters para uso na cidade devem ser menores e econômicas para conseguir vantagem no trânsito e consumir menos combustível.

Suzuki Burgman 125

Lançado em 2005, o Burgminha, como é popularmente conhecido, é considerado veterano no segmento. Ideal para quem realiza deslocamentos curtos, já que traz um motor de 125 cc e apenas 9 cv.

Ambos são responsáveis por lhe conferir agilidade no trânsito carregado, mas não garantem fôlego em trechos mais rápidos como estradas. O ponto negativo vai para as rodas de 10 polegadas. Em cidades esburacadas você realmente vai sentir as pancadas.

Esse modelo pode ter preços bem atrativos se for usada. A liquidez em compra e venda talvez seja o maior trunfo dessa veterana.

  • Escolha esse scooter é ideal se o objetivo for custo de aquisição.

Suzuki Burgman 125

 

Dafra Fiddle III

Fabricado pela taiwanesa SYM, o scooter Dafra tem motor de 125 cc e potência de 10 cavalos. A marca aposta bastante no estilo retrô e na entrada USB sob o banco, tudo para atrair o público mais jovem e descolado. O USB acoplado pode carregar seu smartphone ou qualquer outro aparelho com a mesma entrada.

  • Escolha esse scooter se o seu principal objetivo for um visual mais descolado.

Honda PCX 150

Embora seja capaz de rodar em vias mais rápidas e pequenas estradas que ligam cidades, ainda é aconselhável que seu uso seja feito nas ruas, na maioria do tempo. O scooter possui iluminação em LED, suspensão traseira reforçada e uma capacidade de 8 litros no tanque de combustível. Além disso, seu motor de um cilindro com refrigeração líquida possui 149,3 cc.

  • Escolha esse scooter se não quer ter dor de cabeça com manutenções e preza pela economia de combustível.

Seus pontos altos são a economia, manutenção e o maior baú da categoria. Para 2019 a montadora promete a versão com freios ABS.

Yamaha NMax 160

Grande concorrente do PCX, esse modelo também é uma ótima opção para andar na cidade ou se locomover entre elas. Sua carenagem volumosa e cobertura sobre o guidão somam com seus freios ABS, painel digital e lanternas de LED para formar um belo modelo de scooter. O espaço de bagagem sob o acento tem capacidade de 25 litros e comporta bem um capacete e pequenos objetos. Seu tanque apresenta capacidade de 6,6 litros e o motor monocilíndrico tem 155 cc e gera 15 cv.

  • Escolha esse scooter se o seu principal objetivo for potência e controle com frenagens.

Os pontos altos são o visual, potência e o ABS.

Para uso na estrada

Dafra Citycom S 300i

Embora você também consiga andar com esse modelo na cidade, o modelo Citycom faz viagens com conforto e segurança. Com um motor maior e nova nomenclatura, o S em seu nome indica sua maior capacidade cúbica de 278,33 cc no motor, responsável por agora produzir 27,8 cavalos a 7.750 rpm.  Além disso, as rodas são de aro 16 polegadas. É a moto ideal se você precisa pegar um trecho de estrada para ir ao trabalho.

Como pontos altos podemos citar o modelo mais do que aprovado após anos de uso e ajustes e ótima liquidez de mercado.

Honda SH 300i

Modelo equipado com grandes rodas de 16 polegadas, ideais para absorver as imperfeições do solo conferindo uma maior estabilidade, o scooter SH 300i ainda traz um visual clássico.

Com motor de 279,1 cc, quatro válvulas e arrefecimento líquido, é capaz de produzir 24,9 cv a 7.500 rpm. O torque é seu grande destaque, que está disponível desde baixos regimes, chegando ao máximo de 2,59 kgfm a 5.000 rpm.

Provavelmente é uma das melhores opções custo benefício.

Dafra Maxsym 400i

Outro modelo da Dafra, o Maxsym traz freios ABS, espaço para dois capacetes sob seu banco, para-brisa com ajuste de altura, apoio de lombar para piloto e garupa, porta-objetos, tomada 12V, freio de estacionamento e entrada USB.

Sua larga proteção frontal mantém o peito e as pernas do piloto protegidos contra o vento ou qualquer objeto que possa atingi-lo durante a viagem. Suas carenagens avantajadas também são destaque para o modelo.

É o modelo perfeito para quem quer viajar e curtir, mas evite se o trânsito urbano estiver dento de sua rotina diária.

Para esbanjar e curtir

Yamaha T-Max 530

Reformulado, esse modelo de scooter ganhou uma nova roupagem com carenagem diferente e faróis em LED. Para que seu desempenho seja melhor nas rodovias, o motor bicilíndrico de 530 cc, injeção eletrônico e arrefecimento líquido foram muito bem pensados na hora da projeção. O motor gera 36,2 cv de potência a 6.750 rpm.

É uma scooter com pegada de moto esportiva que não faz feio frente a nenhuma outra. A escolha ideal de quem quer chegar e ser notado.

Infelizmente, por ser importada, existem poucos modelos disponíveis.

BMW C 600 Sport

Primeiro maxiscooter da marca alemã vendido no Brasil, o modelo oferece um visual arrojado, luxo e sofisticação. Seu grande objetivo é combinar a mobilidade de uma moto urbana com o conforto de um scooter e o desempenho de uma estradeira. O modelo é uma excelente opção para quem deseja fazer viagens com conforto e segurança.

5 dicas para começar a pilotar uma scooter

1- Fique de olho no solo

Alguns scooters de rodas com diâmetro pequeno de 14 e 10 polegadas, por exemplo. O que quer dizer que a capacidade de encarar irregularidades na pavimentação desses modelos deixa um pouco a desejar. Mesmo que você esteja a 40 ou 60 km/h, passar por uma lombada ou buraco do mau jeito pode causar um efeito ruim para a estabilidade do veículo.

por ter rodas e pneus um tanto quanto pequenos, um scooter não costuma encarar muito bem irregularidades no solo
por ter rodas e pneus um tanto quanto pequenos, um scooter não costuma encarar muito bem irregularidades no solo. Por isso, fique atento a esse detalhe

Sendo assim, preste atenção nas condições do solo e lembre-se sempre de que quanto maior for a velocidade em que você estiver andando, menores são as chances de conseguir retomar o controle caso você entre em contato com uma irregularidade inesperada na pavimentação.

2- Treine a frenagem

Se você tem experiência com motocicletas comuns, você sabe que a maneira correta de frear é dosar de 70-80% da força de frenagem no freio dianteiro, deixando o traseiro fazer apenas um papel de coadjuvante. Porém, no scooter as coisas são um pouco diferentes.

O freio responsável pelo maior trabalho na redução da velocidade também será sempre o dianteiro. A mudança nesse caso é que os traseiros recebem um pouco mais de relevância em comparação com as motos comuns. A razão seria a anatomia do tipo de veículo: em motos comuns, o peso é distribuído igualmente entre ambas as rodas. Nos scooters, o peso maior fica sempre sobre a roda traseira, alterando a maneira de frenagem correta.

A melhor técnica é dar ao freio traseiro entre 45 a 40% da potência de frenagem, ainda mantendo a maior porcentagem no freio da frente. Isso resultará em frenagens mais efetivas e estáveis.

a frenagem de um scooter costuma ser diferente da frenagem de uma moto comum, o que faz com que você precise treinar para entender como esse mecanismo funciona
a frenagem de um scooter costuma ser diferente da frenagem de uma moto comum, o que faz com que você precise treinar para entender como esse mecanismo funciona

Para saber exatamente como distribuir esses percentuais basta treinar a frenagem com exercícios simples, em baixa velocidade e rua sem movimento. Primeiro, freie em uma baixa velocidade apenas com o freio dianteiro. Em seguida, com o traseiro. Você irá perceber a diferença entre a atuação dos dois freios. Feito isso, acione ambos ao mesmo tempo, de uma maneira que consiga o melhor resultado.

Atenção!

Faça esse exercício apenas em ruas com pouco movimento e em uma velocidade bastante baixa para evitar o risco de acidentes!

3- Treine as manobras

Assim como carros, scooters também precisam ser manobrados. Com rodas pequenas, curtinhos e leves, esses veículos combinam com os vários espaços apertados das grandes cidades. Para isso, porém, você precisa saber como a dinâmica dele funciona.

Por ter rodas pequenas, o equilíbrio do scooter em movimento não é igual ao de uma moto comum, podendo ocorrer um pequeno efeito giroscópio das rodas. Como resultado, você terá um menor equilíbrio em velocidades baixas. Além disso, você poderá notar que o veículo ficará um pouco trêmulo em algumas situações. Por isso, é importante que você treine manobras e a forma de pilotar um scooter para ter uma melhor experiência com seu veículo!

treine as manobras com seu scooter para entender como ele funciona e para ter uma melhor experiência com o veículo
treine as manobras com seu scooter para entender como ele funciona e para ter uma melhor experiência com o veículo

4- Atente-se ao peso

Carregar um passageiro é recomendável apenas para aqueles que já se sentem 100% seguros em um scooter. Como dissemos antes, o peso de um scooter incide mais na roda de trás do que em uma moto comum. E é exatamente ali que um possível passageiro irá montar.

Atente-se à roda dianteira, já que ela ficará quase sem carga e poderá levitar, causando um grande perigo de uma derrapagem de dianteira em curvas. Embora não exista solução para esse problema, é importante que você esteja ciente de que pilotar com um passageiro requer muito cuidado e atenção. Além disso, o peso a mais terá grande impacto nas porcentagens de frenagem.

5- Tenha cuidado com os pneus

Os pneus de um scooter merecem uma atenção a mais, já que são pequenos e finos. Assim, é um pouco difícil cumprir suas funções em pavimentações com buracos e de má qualidade. Além do mais, saiba que pneus desgastados ou vencidos são perigosos para qualquer veículo.

por serem mais finos e menores, os pneus de scooters merecem uma atenção especial
por serem mais finos e menores, os pneus de scooters merecem uma atenção especial

Mantenha sempre a calibragem correta e observe o surgimento de deformações como cortes, bolhas etc com frequência.

Quer saber mais sobre a validade de um pneu de moto? Clique aqui e confira! 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui