Com o mercado de vinhos cada vez mais ativo nacionalmente, muitos consumidores estão buscando informações e novos produtos para o consumo da bebida. E ter uma adega na sua casa pode fazer toda a diferença. Com visuais modernos, clássicos, climatizadas ou não, vários estilos de adegas estão à disposição no país.

O vinho nacional vem ganhando destaque mundo afora. Safras mais robustas, expansão e investimento no setor movimentam o cenário, que espera ainda mais avanços para os próximos anos. E, tudo isso influencia nos investimentos que o brasileiro faz dentro da sua casa.

Agora, se quando falamos a palavra adega, você pensa em cavernas e adegas imensas dentro de uma vinícola, com barris enormes de ótimos vinhos, você está enganado. Claro que essas adegas nunca deixaram de existir, mas não é possível no mundo moderno ter esse tipo de construção em qualquer lugar, principalmente nas cidades.

Pensando nessas necessidades do consumidor moderno, as adegas residenciais ganham força e fazem parte de um lar que busca requinte, modernidade e elegância, aliados ao sabor de um bom vinho sempre que o momento pedir.

Quem não gosta de um bom vinho com os amigos, com a família, sozinho ou com seu par perfeito?

E o Brasil conta com uma grande variedade de adegas para todos os gostos: temos adegas passivas, que são mais clássicas, sem fazer uso de tecnologias de armazenamento; e também as climatizadas, em modelos que são termoelétricos ou que utilizam compressores.

O que não vale é ficar de fora desta tendência que vem conquistando as casas do país. Se você quer saber mais sobre as adegas residenciais, suas diferenças e estilos, este artigo é para você!

Surgimento e histórico das adegas

O processo de fermentação de bebidas data de mais de 5.000 a.C
O processo de fermentação de bebidas data de mais de 5.000 a.C

O armazenamento de bebidas é algo muito antigo na humanidade. Existem registros que remetem a 5.000 a.C no Egito e onde fica Israel atualmente. Esses líquidos eram provenientes do esmagamento de frutas, que eram guardadas em ânforas por um certo tempo de maturação, podendo até ter seu recipiente trocado no meio do processo. Essa produção tinha um responsável que cuidava do local de armazenamento e decidia quando estes líquidos estavam prontos para o consumo.

Com o passar do tempo essas técnicas se modernizaram, tornando-se o que hoje chamamos de vinho e outras bebidas fermentadas em geral, principalmente as alcoólicas. E as adegas também se modernizaram. Vários estudos e percepções ocorreram para delimitar o que são as “caves” hoje. O ambiente subterrâneo é propício para guardar vinhos, já que a temperatura, umidade, incidência de luz e vibração, são fatores primordiais no armazenamento dessas bebidas.

Portanto, o investimento em um produto ou local próprio para armazenar seus vinhos faz toda a diferença na hora do consumo. Imagina guardar sua coleção e, na hora de apreciar uma das garrafas o sabor e aroma não estar ideal? Pior, estar até estragado? Saber guardar um vinho faz toda a diferença, principalmente se esse hábito já for comum na sua vida.

Vale lembrar que nem todos os vinhos são de guarda, ou seja, que tem bom envelhecimento. Muitos vinhos não são feitos para ficarem guardados por longos anos, ou seja, devem ficar guardados por períodos médios ou curtos, de poucos anos no máximo. Nada disso impede que eles fiquem bem conservados já que, mesmo os vinhos que não são de guarda, também precisam de um armazenamento confiável e específico.

Tipos de adegas

Existem quatro tipos de adegas: passiva, de madeira, termoelétrica e com compressor. Cada uma delas tem seus pontos positivos, que agradam cada tipo de consumidor ou necessidade do local.

Enquanto a passiva não conta com tecnologias, deixando apenas o tempo e o ambiente mantendo as suas garrafas, as outras duas são tipos diferentes de refrigeração, que contam com outras características de acordo com cada modelo, enquanto a de madeira oferece um armazenamento comum, mas bastante usual e objetivo. Confira abaixo as diferenciações entre as quatro.

Adega passiva

A adega passiva nada mais é que um espaço subterrâneo onde o dono destina seus vinhos para armazenamento. Chamada também como cave, é o modelo mais comum, já que é baseado no armazenamento das vinícolas e produtores da bebida. Sem contar com muitas especificidades, as adegas passivas são porões, podendo ser construídas em baixo das casas ou em locais próximos no terreno.

Se considerarmos que a estrutura precisa ser cavada e construída desde o início, compensa ter um cômodo todo construído já de uma vez, o que permite que muitos exemplares de vinho sejam guardados ali. Também por isso, é recomendado para quem tem uma vasta coleção, ou a intenção de ter uma no futuro. Além disso, é recomendado para quem tem bastante espaço em seu terreno, podendo destinar uma área e um investimento deste porte na construção de um espaço subterrâneo.

Como dito acima, as condições de armazenamento de garrafas de vinho em espaços subterrâneos são ótimas, pois a temperatura, umidade e incidência de luz são fatores que são propícios nessas condições.

A temperatura é amena, a incidência de luz é pouca e a umidade bem controlada. Além disso, a vibração do local também é menor. Estes fatores, por serem externos, não influenciam tanto neste ambiente.

Adega com compressor

Modernas e sutis, as adegas climatizadas estão conquistando cada vez mais os consumidores brasileiros
Modernas e sutis, as adegas climatizadas estão conquistando cada vez mais os consumidores brasileiros

As adegas com compressor são modelos que contam com sistema de refrigeração, além de serem ideais para locais quentes. O custo de energia é maior do que os modelos termoelétricos, mas o resfriamento é maior, o que faz com que a temperatura seja melhor controlada do que suas rivais.

Um ponto interessante das adegas com compressor é a possibilidade em ter diferentes temperaturas de um ponto para o outro da própria adega.

Por conta dessa especificidade, esses modelos de adegas podem armazenar com precisão diferentes tipos de vinhos e garrafas, o que propicia um aproveitamento ainda melhor de cada uma.

Deve ser considerado também o barulho que adegas com compressor fazem, semelhantes ao de uma geladeira. Devido aos seus ruídos, não é recomendada a sua instalação em salas e ambientes mais silenciosos.

Adega termoelétrica

As adegas termoelétricas usam a energia elétrica para manter a temperatura estável em seu interior. Com consumo baixo de eletricidade, esses modelos visam apenas preservar o vinho, com condições simplificadas, mas objetivas. Para regiões ou locais onde o calor é mais intenso, o uso dela não é tão recomendado.

O funcionamento desse tipo de adega ocorre por troca de calor com o ambiente externo, gerando consumo mínimo de energia. Por isso são recomendadas para lugares com temperaturas amenas, já que seu resfriamento e gasto energético serão menores que os modelos com compressão.

Adega de madeira

As adegas de madeira tem função simplificada e não contam com sistema de refrigeração. São pequenas e úteis em ambientes sombreados e com pouca incidência de luz. São úteis também em ambientes menores, que não tem espaço para adegas grandes com capacidades maiores.

Principais pontos na hora de escolher sua adega ideal

Assim como qualquer produto disponível no mercado, as adegas contam com modelos e funcionalidades distintas. Tamanhos, regulagem de temperatura, iluminação, segurança e outros fatores devem ser levados em consideração na hora de escolher a adega perfeita para a sua casa. Vamos lá!

Temperatura adequada

Para cada tipo de vinho, existe uma temperatura ideal para servir
Para cada tipo de vinho, existe uma temperatura ideal para servir

No tópico acima, falamos de modelos de refrigeração em cada tipo de adega. Dentro de cada produto, existe uma maneira de regulagem de temperatura, que se adequa melhor às suas necessidades. Um detalhe que pode passar despercebido, mas é muito importante, é a importância de um visor de temperatura externo, assim, não é necessário abrir a sua adega para conferir a temperatura.

Outro ponto que pode fazer a diferença é saber os limites de temperatura que a adega pode chegar. Geralmente os vinhos ficam bem conservados entre 14°C e 18°C, enquanto os espumantes têm como temperatura ideal 6°C.

Existem modelos onde é possível controlar diferentes temperaturas dentro da adega, o que aumenta ainda mais as possibilidades de armazenamentos de vinhos e espumantes.

Iluminação e incidência de luz

Busque sempre modelos que contem com vidros especiais que protegem contra os raios UV. Assim, sua adega poderá ficar em lugares que tenham iluminação. Mesmo assim, evite deixar sua adega em um local com exposição ao sol.

Alguns modelos de adega também contam com iluminação interna quando a porta abre, por exemplo. Nesses casos, evite modelos cuja as lâmpadas internas produzam calor, para não influenciar o armazenamento ideal das garrafas.

Decoração e estilo

Certamente sua casa tem um estilo definido de acordo com seus gostos pessoais e as peças que você escolheu. Por isso, é importante escolher uma adega que combine com a sua ambientação, para que ela não se torne um item desagradável na composição e harmonia da casa.

Existem modelos que vão além do inox, tons de preto, como os vintage, tons de madeira e coloridos.

Segurança e garantias

Muitos vinhos são valiosos e raros. Portanto, modelos com travas, chaves de segurança e até biometria não são dispensáveis. Tudo isso evita danos, roubos e também que pessoas fiquem abrindo sua coleção desnecessariamente. Outro item importante é o alarme que avisa quando a porta fica aberta por muito tempo, evitando que a temperatura do interior da adega seja prejudicada.

Capacidade e custo-benefício

Fundamental na hora de escolher a sua adega é pensar no tamanho. Se você já tem uma coleção de vinhos e pretende ampliá-la; se a intenção é ter um pequeno estoque ou alta rodagem de rótulos; se a adega vai ficar em um escritório ou em uma casa de veraneio. Enfim, são vários os fatores que devem ser levados em consideração. Existem adegas que vão de 6 até mais de 200 garrafas! Portanto pense bem no espaço e na sua necessidade.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui