Saber calcular corretamente o frete de caminhão é indispensável para que a empresa mantenha o lucro mensal. Independentemente se a concorrência está alta ou o mercado em baixa, é necessário saber quanto custa manter sua frota na estrada. Caso contrário, você corre riscos de quebrar a sua transportadora. 

Comprar caminhões de boa qualidade, treinar a equipe e prestar um dos melhores serviços do ramo não adianta se o preço cobrado pelos serviços não paga os investimentos. Em tempos de crise econômica, é comum vermos fretes mais baratos do que o restante do mercado serem aceitos.

Diferentemente do que você possa pensar, esses fretes com preços muito abaixo do comum não dão lucros, e sim, prejuízos. Por isso, você deve adotar a estratégia correta para atender seus clientes da melhor forma possível e ainda lucrar com o serviço.

Como sabemos que fazer o cálculo de fretes não é uma tarefa fácil, separamos algumas dicas para auxiliar na tarefa. Continue a leitura para entender melhor sobre o assunto!

confira mais sobre como calcular corretamente o frete de caminhão
confira mais sobre como calcular corretamente o frete de caminhão

Para que serve o cálculo de fretes?

Quando você compra um caminhão precisa levar em consideração alguns custos que as atividades de transporte rodoviário de cargas trazem, como, por exemplo:

  • manutenção do veículo;
  • gastos com combustíveis;
  • lavagem e lubrificação.
  • desgastes dos pneus.

Alguns dos caminhoneiros olham para esses valores citados acima e fazem o cálculo do frete baseados apenas nesses custos. Porém, esses itens representam apenas alguns dos componentes que você precisa levar em conta. Você também deverá calcular gastos como o frete-peso, que é a cobrança por peso daquela mercadoria que você está transportando.

Além do ad valorem (frete-peso), também é necessário pensar no gerenciamento de risco (GRIS) e outras taxas que recebem o nome de generalidades.

Depois de calcular todos esses valores, você ainda precisa embutir o seu lucro. Por envolver muitas variáveis, é muito importante que você faça o cálculo corretamente para garantir que está cobrando o preço correto pelos seus serviços.

Ad valorem

Como visto antes, o ad valorem, também conhecido como frete-peso, é a cobertura pelos riscos que o transportador pode correr ao transportar uma carga de determinado peso. Os principais fatores de riscos são:

Peso

Quanto mais leve for a carga, mais fácil ela é de ser roubada, por exemplo. Caso a sua carga tenha um seguro de roubo, será cobrado um valor que se adeque a esse risco pela seguradora.

Tipo de carroceria

Uma grade baixa ou aberta oferece um risco maior do que um contêiner, tanto do ponto de vista de acidentes, como de roubos. Esse também é um fator levado em consideração na hora de calcular frete de caminhão.

carrocerias abertas possuem um risco maior de roubo em comparação com um contêiner
carrocerias abertas possuem um risco maior de roubo em comparação com um contêiner

Tipo de estrada

O trajeto por onde a carga passará é outro fator de extrema importância para fazer um cálculo correto e justo. Afinal, as condições da estrada podem influenciar no risco de acidentes e a região, no roubo de cargas.

Quantidade de manuseios

Quando a carga que está sendo transportada precisa de mais de um manuseio, o risco de danos aumenta. Isso porque, na maioria das vezes, significa que ela tem uma fragilidade maior.

Composição do ad valorem

Além desses ricos, também entram no cálculo de frete de caminhão:

RCTR-C (Responsabilidade Civil sobre o Transporte Rodoviário de Cargas): seguro obrigatório ao transportador, também conhecido como seguro de acidentes.

RCF-DC (Responsabilidade Civil Facultativa do Transportador Rodoviário por Desaparecimento de Carga): seguro facultativo, isto é, pode ou não ser contratado pelo transportador, também conhecido como seguro de roubos.

GRIS (Gerenciamento de Riscos): falaremos mais a respeito do gerenciamento de risco no próximo tópico.

em situações de greve, o transportador terá de arcar com os prejuízos sozinho
em situações de greve, o transportador terá de arcar com os prejuízos sozinho

Indenização de mercadorias: como nem tudo é coberto pelos seguros, existe uma série de situações que o transportador poderá encarar e terá que arcar sozinho com o prejuízo. Por exemplo:

  • motim;
  • violação de mercadorias;
  • extravios de produtos dentro da carga;
  • greves;
  • atos de vandalismo;
  • avarias de manuseio;
  • roubos de depósito.

Qual a taxa de ad valorem que deve ser cobrada?

Definir exatamente o percentual de ad valorem que deverá ser cobrado em relação à mercadoria é uma tarefa bastante complicada. Isso porque será necessário cobrir todos os gastos pela responsabilidade de transportar a carga.

Para estabelecer o valor da mercadoria, basta olhar a nota ficas dos produtos. Porém, os fatores de riscos, a composição do ad valorem, tempo e distância são fatores que podem diminuir ou amentar o percentual. Por exemplo: a mercadoria pode ter custado um preço razoável, mas apresentar grandes riscos de ser roubada na hora do transporte.

a distância entre a coleta e entrega da mercadoria é um dos fatores determinantes na hora de fazer cálculo de frete de caminhão
a distância entre a coleta e entrega da mercadoria é um dos fatores determinantes na hora de fazer cálculo de frete de caminhão

Além disso, quanto maior for a distância entre a origem e o destino da mercadoria, maior é o tempo na estrada. Ou seja, o risco de algo acontecer também é grande. Pensando nisso, a NTC – Associação Nacional de Transporte de Carga, estabeleceu uma tabela com as alíquotas relacionadas à distância. Veja:

1 a 250 Km: 0,30%

251 a 500 Km: 0,40%

501 a 1000 Km: 0,60%

1.001 a 1500 Km: 0,70%

1.501 a 2.000 Km: 0,80%

2.001 a 2.600 Km: 0,90%

2.601 a 3.000 Km: 1,00%

3.001 a 3.400 Km: 1,10%

Acima de 3.400 Km: 1,20%

Coleta e entrega: 0,15%

Lembre-se que a distância tem relação com a carga e não com o caminhão. Isto é: você não pode considerar o trajeto de ida e volta. Mas, poderá considerar uma nova taxa de ad valorem no retorno, de acordo com a nova mercadoria que você estará trazendo.

GRIS

O Gerenciamento de Risco (GRIS) é um custo bastante necessário para quem transporta cargas de alto valor. Afinal, esse gerenciamento é focado especialmente em roubo de cargas. As empresas que trabalham com GRIS usam duas vertentes para evitar esses incidentes, sendo elas:

Tecnologia: rastreadores são instalados nos caminhões e monitorados por computadores nas centrais. Nesse modelo, ainda há a possibilidade de fazer alguns comandos que podem evitar o roubo em certas ocasiões.

as empresas que trabalham com GRIS normalmente rastreiam os caminhões e fazem o monitoramento direto da sede da companhia
as empresas que trabalham com GRIS normalmente rastreiam os caminhões e fazem o monitoramento direto da sede da companhia

Inteligência: apesar dos equipamentos serem bastante úteis, eles não são eficientes se não houver uma boa estratégia, que é criada para cada rota específica a fim de burlar a ação dos ladrões.

Para ter um bom Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR), é necessário levar em conta:

  • as paradas programadas dos motoristas;
  • ações programadas do motorista que poderiam demonstrar normalidade ou algum problema na estrada;
  • um horário inteligente de saída da empresa prevendo os horários de cada parada;
  • qualificações técnicas e comportamentais do motorista adquiridas por meio de treinamentos, cursos, orientações e exames de vista e glicemia.

Embora o foco do GRIS seja evitar o roubo, isso nem sempre é possível. Em situações como essa, as empresas de Gerenciamento de Riscos utilizam vários mecanismos para tentar salvar a carga como bloqueios e sirenes, por exemplo.

O custo do GRIS dentro do ad valorem

Como vimos, o GRIS é um dos componentes do ad valorem. Sendo assim, o GRIS também deverá ser cobrado em forma percentual, mas não separadamente. Isto é: algumas mercadorias não necessitam de GRIS, o que faz com que a taxa percentual de ad valorem seja menor.

embora o GRIS seja um tópico separado do ad valorem, ele deve estar integrado junto ao percentual ao invés de ser cobrado separadamente
embora o GRIS seja um tópico separado do ad valorem, ele deve estar integrado junto ao percentual ao invés de ser cobrado separadamente

Da mesma maneira, um produto considerado mais propenso a roubos pelo seu valor, receberá um ad valorem maior em que estará integrado o percentual do Gerenciamento de Risco. Ou seja, terá o preço do frete de caminhão aumentado.

Generalidades

Por fim, temos as generalidades, que buscam “tapar” os buracos que não foram preenchidos pelos valores vistos acima. A taxa tem como finalidade:

  • alinhar custos por função de tempo que não foram previstos;
  • cobrir riscos anormais durante o transporte;
  • bancar alguns serviços de documentação;
  • reembolsar tributos específicos;
  • equalizar custos com alterações que não foram previstas na rota.

Relação das generalidades com as cargas

No total, existem 28 tipos de generalidades que são distribuídas em 7 cargas diferentes. Pra resumir, iremos citar apenas as tarifas comuns em todos os tipos de carga.

Cubagem

Toda carga deve ter o volume avaliado antes de cotar o preço por peso, já que uma carga muito volumosa poderá usar todo o espaço do veículo. Isso atrapalha na hora de definir o frete de caminhão e o preço cobrado acaba não sendo justo.

o volume da entrega é um fator de extrema importância para fazer o cálculo justo do frete de caminhão
o volume da entrega é um fator de extrema importância para fazer o cálculo justo do frete de caminhão

Devolução de mercadorias

Quando alguma mercadoria é devolvida pelo cliente o retorno da entrega gera alguns custos. Esses valores normalmente são os mesmos gastos na ida do transporte. Essa é uma generalidade muito recorrente na hora de calcular o frete de caminhão.

Estadia do veículo

Em situações que uma entrega demora mais do que o previsto para chegar, o transportador tem direito de cobrar pela estadia do seu veículo.

Taxa de dificuldades de entrega

Essa taxa diz respeito ao reembolso destinado ao transportador por custos adicionais sempre que a entrega for dificultada pelos seguintes fatores:

  • recebimento por ordem de chegada, independentemente da quantidade;
  • solicitação de agendamento prévio;
  • recebimento que gera longas filas e tempo excessivo de descarga;
  • questões no contrato de serviços que agravam o custo operacional do transportador;
  • exigência de mais ajudantes para a carga e descarga;
  • exigência de separação de itens no recebimento.

Taxa de restrição de trânsito

A TRT, como também é conhecida, tem a finalidade de ressarcir o transportador pelos custos adicionais nos casos de restrições de horários de circulação de veículos de transporte de carga. Essa lei foi implementada em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte.

algumas cidades possuem restrições quanto à circulação de caminhões de carga
algumas cidades possuem restrições quanto à circulação de caminhões de carga

Taxa de fiel depositário

Sempre que uma mercadoria for apreendida pela Secretaria da Fazenda e gerar algum tipo de entrave fiscal, e o transportador for considerado fiel depositário da carga, poderá fazer a cobrança de uma taxa diária do seu cliente já que precisará estar à disposição da justiça.

Escolta armada

Todas as vezes em que o cliente ou agência de gerenciamento de risco exigir a escolta armada para a carga, o valor deverá ser repassado ao cliente como uma generalidade.

O que é necessário para fazer o cálculo de frete de caminhão?

Além do ad valorem, GRIS e generalidades, você também deverá calcular:

Cubagem

Como vimos, o volume da carga que você está transportando é muito importante para fazer o cálculo de frete de caminhão. Imagine que você está carregando um colchão. O espaço livre para colocar mais cargas será menor e pode acabar perdendo dinheiro caso cobre apenas o peso do produto.

Além disso, se uma carga ocupa todo o espaço do veículo, provavelmente o transportador sairá do ponto de coleta e irá diretamente para o local de destino. Já nos casos de produtos pequenos, em que a entrega é fracionada, a transportadora passe por vários pontos de entrega.

Distância entre a coleta e a entrega

Saber a distância entre os pontos de coleta e de entrega das mercadorias é um fator determinante na hora de definir seus custos operacionais da viagem. Mais de um ponto de coleta ou de entrega também influenciam bastante nesse preço.

Valor da carga na nota fiscal

Olhando o valor na nota fiscal você terá uma ideia do risco que corre ao fazer o transporte e se há necessidade em fazer o seguro da carga. Fique atento em situações de meia nota, práticas ilegais que alguns embarcadores usam a fim de pagar menos impostos.

Peso das mercadorias

O peso da carga define o quanto o seu caminhão gastará de combustível, além de possíveis manutenções e degastes de pneus, por exemplo. Sendo assim, a grande maioria das transportadoras calculam o frete por quilo transportado.

o peso da carga irá influenciar no valor do frete de caminhão que será cobrado
o peso da carga irá influenciar no valor do frete de caminhão que será cobrado

Como fazer o cálculo de frete de caminhão?

Existem várias fórmulas e maneiras para calcular um frete de caminhão. A mais simples é usar uma calculadora, mas também existem alguns programas de computador ou online que podem lhe auxiliar nessa tarefa. Desde que você saiba colocar os valores corretos no cálculo, ambas as formas são válidas e dão certo.

Apesar da crise em que vivemos, o valor deve ser calculado corretamente, uma vez que colocar um valor muito abaixo da média pode gerar prejuízos, e aumentar demais o preço tira sua credibilidade.

Agora que você viu mais sobre como calcular corretamente o frete de caminhão, faça seus cálculos de acordo com os custos da mercadoria que você está transportando. Lembre-se que além de cobrir os valores gastos com a entrega, o frete também deve gerar lucro para você e sua transportadora.

Pensando em comprar um caminhão novo? Vem para o Superbid!

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui