Recria é o nome dado à fase do sistema de produção que começa após os desmame das crias e tem por objetivo a preparação do gado para a reposição ou para a engorda. Neste sentido, vamos falar como intensificar a recria do gado é uma forma de ter maior lucratividade com a pecuária.

Para o gado de corte, é esperado que esta fase não exista, ou seja, os animais deveriam passar do desmame direto para a fase de engorda ou terminação. Entretanto, quando os animais são desmamados com peso inferior, o que pode ocorrer por diversos fatores, eles precisam ser submetidos à fase de recria para atingir esse peso.

Em aproximadamente sete meses do período de nascimento até o desmame, o bezerro consegue atingir de 25 a 50% do seu peso final de abater. Contudo, fatores como a perda de peso e/ou estagnação após a desmame do bezerro são obstáculos frequentes na pecuária de corte.

A fase de recria do gado tem início após o desmame do bezerro.
A fase de recria do gado tem início após o desmame do bezerro.

Vale ressaltar que quanto maior peso o bezerro tiver quando for desmamado, menor será também o tempo para o abate e maior a possibilidade de uma fêmea entrar em reprodução, em casos em que a nutrição após a fase de desmama não seja limitante.

Esses problemas se agravam em animais que enfrentam durante seu crescimento períodos chuvosos ou épocas de seca. Essas adversidades possuem como consequência o atraso na puberdade.

 

MaisAtivo ingressa no segmento rural

Assim, a utilização de suplementação na recria pode ser bastante vantajosa tanto do ponto vista econômico quanto do ponto de vista da biologia para o animal.

Na fase de recria, a alimentação precisa ser baseado em alimentos volumosos, como por exemplo, forragens conservadas e verdes, para que os animais atinjam o peso desejado e suplementações que possam ser integradas à água e alimentação.

A duração e o objetivo de intensificar a recria do gado

No Brasil, é comum que a fase de recria seja a etapa que mais retém os animais, ou seja, que eles passam mais tempo. Atualmente os animais são abatidos entre 24 e 30 meses. O período de cria é em torno de 6 meses, a recria de 8 a 12 meses e, após esse período, vem a fase de engorda.

O crescimento eficiente ocorre por conta da composição dos tecidos depositados e da taxa de ganho de peso. Do ponto de vista nutricional, o crescimento do gado pode ser visto a partir da eficiência energética (contabilizada por megacaloria (Mcal)) ou a partir da eficiência alimentar que é expressa a partir de quilogramas ganhos.

Neste sentido, o nível nutricional adorado na dieta do animal e o manejo alimentar durante a vida do animal afeta de forma direta o tempo da fase de terminação ou acabamento, a taxa de crescimento e o peso e a proporção dos componentes da carcaça (ossos, gordura e músculo).

A recria do gado tem por objetivo a engorda, o ganho de gordura subcutânea e a otimização da carcaça para a fase de acabamento do gado de corte.
A recria do gado tem por objetivo a engorda, o ganho de gordura subcutânea e a otimização da carcaça para a fase de acabamento do gado de corte.

Isso porque, a densidade energética da dieta faz o direcionamento do uso de energia para sintetizar gordura ou proteína.

Esses fatores são de extrema importância para que na fase de acabamento se tenha uma carcaça considerada como ideal.

A carcaça considerada como ideal é aquela que possui uma maior quantidade de carne em relação aos ossos e cobertura de gordura adequada para conferir à carne maior maciez e um paladar mais saboroso.

Para conseguir esse resultado, o emprego de suplementação e a intensificação durante a fase de recria dos bovinos é uma forma de conseguir o abate de animais mais jovens e com carcaças com qualidade otimizada, o que certamente influi nos ganhos e aumento da lucratividade.

Entre as vantagens de usar a suplementação concentrada durante a recria do gado é que o animal vai apresentar maior atendimento das carcaças e disposição de gordura subcutânea.

A importância da suplementação na recria do gado

Há um desequilíbrio de minerais nas pastagens, que também é influenciada pela acidez do solo, adubação, época do ano e fertilidade.

Por isso, a suplementação se torna essencial para uma melhor qualidade de composição da carne, gordura e leite e também para o crescimento ósseo e favorecer a reprodução.

Os minerais da suplementação também ajudam para a melhora do sistema imunológico do animal, o que deixa o gado mais resistente a doenças.

 

A suplementação é uma forma do gado absorver sais minerais e proteínas que não há ou são escassas nas pastagens.
A suplementação é uma forma do gado absorver sais minerais e proteínas que não há ou são escassas nas pastagens.

Mas, qual a melhor suplementação ? Nos últimos tempos, tem-se notado uma evolução no que diz respeito à suplementação do gado.

Antigamente era comum usar apenas o sal branco para a suplementação, que possui somente sódio e cloro.

Hoje em dia, os pecuaristas contam com opções diversas de suplementos minerais e até mesmo proteínados que aceleram a engorda do gado.

Outros minerais foram adicionados como o cálcio, magnésio, enxofre, cobre, zinco, iodo, selênio, fósforo, entre outros. Há também rações super enriquecidas que além de sal e minerais, possuem proteínas e componentes energéticos como milho, farelo de soja e entre outros componentes.

Já o sal branco ainda é usado para atrair o animal e fazer a regulagem do consumo. Contudo, não é indicado que o produto tenha mais de 35% de sal.

Como vimos, a suplementação na recria precisa ser usada de forma estratégica na recria do gado visando acelerar a fase de acabamento, no que diz respeito a engorda, gordura e rendimento da carcaça.

  sucata  

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui