Os semirreboques são utilitários capazes de transformar o dia a dia das empresas logísticas do Brasil.

Por meio desse instrumento, caminhões conseguem carregar frotas e mais frotas de mercadorias com  bens de uso para todo o Brasil, ajudando a fazer a economia girar e se mantendo responsável pelo emprego de milhares de brasileiros.

Com a pandemia, a coisa não muda: cada vez mais, as empresas vendem por sites ou redes sociais, fazendo com que as empresas de entregas tenham mais trabalho pela frente. No caso, o que os empresários precisam é de mão de obra qualificada e máquinas que consigam fornecer toda a capacidade para o transporte de bens. É aí onde entram os semirreboques.

O que você sabe sobre os semirreboques? Quais são os tipos e como eles podem ajudar o seu negócio? Além disso, você sabe qual é o panorama do setor logístico nacional e os seus principais desafios? Isso tudo você confere no nosso post.

Como está o setor logístico brasileiro?

Antes de falamos sobre os semirreboques, é importante analisar como a ferramenta poderá auxiliar a sua empresa no atual momento dos modais rodoviários do Brasil.

O transporte de cargas por rodovias é um dos principais pilares da nossa economia. Mas ele não é composto apenas pelas empresas, e sim, relacionamento entre as partes envolvidas nos transportes, no meio transportador e pelos terminais de carga. Sua importância é tão grande, que o deslocamento dos produtos por meio de reboques ou semirreboques pode alcançar a marca de 64% dos custos logísticos, sem contar no dobro dos lucros das mercadorias transportadas.

Segundo os dados do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, o transporte rodoviário de cargas (TRC), por exemplo, movimenta aproximadamente 60% dos bens de consumo, o equivalente a  6%.

Agora que você sabe um pouco sobre a importância do setor, chegou a hora de aprender sobre os semirreboques.

O que é um semirreboque?

O semirreboque é um equipamento que transporta cargas por diversas vias rodoviárias e geralmente tracionado por um caminhão-trator no qual ele é acoplado. Essa junção de caminhão e semirreboque acontece por meio de um engate universo do tipo B, composto pela “quinta roda”.

diferença entre reboque e semirreboque: tipo de semirreboque
Modelo de um semirreboque comum para o transporte de mercadorias e cargas.

Geralmente, o semirreboque possuem de 1 a 3 eixos e não possuem força autopropulsora, ou seja, precisam ser carregados por outro tipo de motor. Por conta de seus eixos, eles não conseguem obter equilíbrio por conta própria.

Diferenças entre reboques e semirreboques

Um dos pontos que mais “pegam” os motoristas ou empresários do setor logísticos são as nomenclaturas dos aparelhos, que podem ser reboques ou semirreboques. No entanto, diferenciar os carrocerias não é uma tarefa difícil, embora seja marcada por diferenças sutis. 

Mas para tirar a sua curiosidade, o reboque é um veículo de carga independente com, no mínimo, dois eixos e que pode se equilibrar sozinho, diferente dos semirreboques. 

Resumindo a diferença do reboque ou semirreboque: o primeiro transita engatado em um veículo, enquanto o outro apoia parte de seu peso ao veículo trator, precisando de um suporte mais robusto.

Tipos de semirreboques

Existem vários tipos de semirreboques. Conheça seus tipos a seguir:

Aberto: o semirreboque aberto é utilizado no transporte de cargas que não têm a necessidade de proteção, seja das condições climáticas ou de deslocamento. Esse é o tipo mais comum disponível no mercado.

Basculante: é o semirreboque ideal para transporte de produtos a granel, que precisam ser despejados em locais ou superfícies específicas para controle.

Carrega Tudo: o semirreboque carrega tudo, como o seu nome indica, é capaz de carregar praticamente todas as cargas em seu interior, menos cargas que requerem controle da temperatura. Geralmente, ele é responsável pelo carregamento de cargas indivisíveis, seguindo as orientações da legislação de número 11 do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes).

Cegonha: semirreboque utilitário para transporte de outros veículos, geralmente de modelo simples ou duplo (com dois andares).

Fechado: o semirreboque fechado transporta cargas que necessitam de proteção contra fatores ambientais ou de deslocamento.

Frigorífico: o semirreboque do tipo frigorífico é utilizado para o transporte de cargas que, geralmente, requerem temperatura controlada, como carnes, laticínios, congelados em geral e remédios.

Graneleiro: o semirreboque graneleiro é importante e essencial para o transporte de cargas em granel, como soja, milha, soja e outros dos nossos maiores commodities oferecidos pelo agronegócio.

Porta-contêineres: o semirreboque porta-contêiner é utilizado para o transporte de contêineres, em geral, com um espaço para encaixe dessas cargas.

Prancha: o semirreboque do tipo prancha é utilizado para transportar máquinas de grande porte ou inteiras, ele possui pranchas que ajudam no carregamento e descarregamento dessas cargas.

Tanques: o semirreboque do tipo tanque é utilizado pela indústria de líquidos a granel, como gasolina, álcool e outras formas de combustíveis.

Principais desafios para o transporte de cargas no Brasil

A internet passou a comandar diversos setores e revelar novas oportunidades para empreendedores, como os e-commerces.

A demanda nunca esteve em tão alta, especialmente na atual pandemia do coronavírus. Por isso, as marcas acabam transportando mais e mantendo a rotatividade da nossa economia. É aí que os semirreboques tornam-se tão essenciais no momento.

Entretanto, o setor seque com alguns desafios que dificultam a vida dos empresários do ramo. Veja quais são eles a seguir:

Infraestrutura da malha viária

Apesar da relevância do setor rodoviário no Brasil, as condições da atual malha viária não são as melhores.

Os motoristas que trafegam pelas rodoviais precisam enfrentar fatores como: buracos, rodovias sem asfaltos e falta de sinalização. Por isso, eles precisam se desdobrar para evitar prejuízos nos caminhões e com as cargas.

Falta de segurança

Outro grande motivo pelo qual o setor rodoviário tem seus problemas é por conta da sua segurança. Roubos de cargas e caminhões são executados por quadrilhas especializadas nesse tipo de crime, que dificultam e prejudicam o setor.

Falta de mão de obra

A busca por talentos no setor rodoviário conta com algumas dificuldades, pois muitos motoristas não sabem das especificidades para trabalhar no meio como, por exemplo, obter uma carteira de motorista exclusiva para trafegar veículos maiores.

Muitos também não conseguem trabalhar com relatórios digitais e outras ferramentas tecnológicas para otimizar os processos.

Agora que você sabe o que são os semirreboques e quais os desafios e o atual panorama do setor logístico nacional, utilize essas ferramentas ao seu favor e cresça nesse mercado lucrativo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui