A sensação de insegurança, principalmente, nos grandes centros urbanos, gera uma grande busca por soluções de proteção contra a violência em diversos espaços, como nos veículos.

O Brasil tem o maior mercado de carros blindados do mundo, ultrapassando países como México e Estados Unidos. No entanto, embora muitas pessoas busquem por esses serviços, há uma dúvida comum: quais são os níveis de blindagem e qual atende às necessidades de cada um? 

A blindagem é dividida em níveis para uma maior proteção do motorista, sendo umas mais resistentes dos que outras. Outro fator determinante tem ligação com as características do carro, como sistema eletrônico sem ampla complexidade, vãos livres de maior dimensão e menor convergência à torção.

Níveis de blindagem

Os níveis de blindagem variam de acordo com o tipo de proteção que o cliente exige, e principalmente de acordo com a norma NIJ STD 0108.01 (National Institute of Justice – USA). Esse é o padrão usado pelo Exército brasileiro.

Nível I

Por se tratar do primeiro nível, oferece uma resistência a armas de menor calibre como os revólveres 22 e 38. Embora seja uma opção mais barata, a proteção acaba sendo limitada. O uso da blindagem nível I é liberado no Brasil.

Nível II e nível II-A

Um pouco mais elevado do que o anterior, esse nível oferece uma proteção a projéteis de pistolas 9 milímetros e Magnum 357. O uso da blindagem nível II e nível II-A é liberado no Brasil.

Nível III-A

O tipo de blindagem de carros mais usados no país, além de ser o preferido dos proprietários, já que resiste a todos os tipos de calibres de armas de mão, além de submetralhadoras 9mm e disparados de Magnum 44.

Os procedimentos feitos no Brasil com esse nível de blindagem representam 98% de todas as blindagens realizadas nos veículos do país.

Comparada ao nível mais básico, a proteção de nível III-A é até quatro vezes maior. Ainda assim, seu uso é permitido no Brasil.

Nível III

Já no caso da proteção de nível III, o uso torna-se restrito e depende da licença especial concedida pelo Exército. Essa proteção é um pouco mais elevada e oferece resistência a tiros de fuzil.

No entanto, o processo é mais demorado e acaba agregando um peso maior ao carro, limitando os modelos que suportam esse nível de blindagem.

Nível IV

Por fim, temos o nível IV. Essa blindagem é totalmente proibida para civis e fica exclusiva para pessoas jurídicas, transportadoras de valores etc.

Um de seus diferenciais é a capacidade de proteger os ocupantes de disparos de metralhadora. Isso quer dizer que entre os níveis de blindagem, esse é um dos mais potentes.

Quais são as áreas do veículo que devem ser protegidas nos níveis de blindagem?

Área transparente

Entende-se como área transparente toda região que conta com os vidros originais. Para substituir os de fábrica, usa-se vidros blindados compostos por materiais diversos. No mercado existe uma grande variedade de composições de vidros blindados. A mais usada atualmente é a composição de vidros laminados com PC (policarbonato), PVB (poli vinil butiral) e PU (poliuretano).

os vidros originais do veículo são substituídos por outros mais resistentes e com mais camadas durante o processo de blindagem
os vidros originais do veículo são substituídos por outros mais resistentes e com mais camadas durante o processo de blindagem

Os vidros considerados de boa qualidade são aqueles que têm:

  • Ótica (visão);
  • Peso (desempenho);
  • Estética (acabamento);
  • Espessura (baixa manutenção);
  • Dimensional (encaixes);
  • Curvatura (assento junto à carroceria).

Área opaca

Toda a parte da carroceria do automóvel, ou então, todo o veículo exceto os vidros. Essa região normalmente é protegida com a aplicação de aço ou compósitos de aramida. Ambos os materiais desempenham os mesmos papéis, mas com características diferentes.

Aço

O aço usado para blindagem deve ser o inoxidável, pertencendo à família do AISI 304. A liga 304 dos aços inoxidáveis é autêntica e não magnética, ou seja, é praticamente de ferro-cromo-níquel. A densidade desse material é de 8,0 g/cm³. Sua resistência à corrosão é bastante alta, juntamente com sua soldabilidade e capacidade de conformação.

alguns itens como a fechadura do carro, por exemplo, recebem aço inoxidável para evitar partes vulneráveis no veículo
alguns itens como a fechadura do carro, por exemplo, recebem aço inoxidável para evitar partes vulneráveis no veículo

A sua aplicação na blindagem se faz necessária principalmente nas partes estreitas e com bordas. Isso porque sua resistência à deformação é muito maior do que o painel balístico, já que o material usado nesse caso é um tecido. Dessa forma, os insertos de aço no vidro blindado nas fechaduras, travessas do teto, colunas e barras de proteção das portas são os mais comuns de serem vistos. Afinal, nessas regiões, o aço é a única solução segura.

Aramida

Embora o aço seja um excelente material para a proteção de carros, seu peso torna-se um problema. Como solução, usa-se, então, os compósitos. Esses materiais são os resultados do desenvolvimento de novas tecnologias que buscam combinar materiais de naturezas diferentes, a fim de alcançar propriedades finais que não existem em materiais originais. A manta balística, ou painel de aramida é o maior exemplo dessa tecnologia na blindagem de carros.

O painel de aramida é um composto de tecido tramado feito com fios de aramida que é montado em uma matriz de PU (poliuretano), PE (polietileno) ou de borracha sintética.

A qualidade do painel é influenciada tanto pela quantidade de fios de aramida, como pela quantidade de camadas, forma de trama, processo de montagem e material da matriz.

Como resultado, temos uma excelente segurança mesmo após o período de garantia. Isso acaba contribuindo para a valorização do produto como um todo. Graças às suas características, grande parte das empresas usam e sugerem a manta de aramida para regiões como portas, laterais, teto, para-lamas, painel, porta-malas e caixas de roda.

Dúvidas sobre a blindagem de carros

Como é feita a blindagem e em quais áreas do veículo?

Após ser submetido a uma vistoria para verificar as funcionalidades dos sistemas em geral, o carro recebe uma proteção externa. Peças internas de forração, sistemas de acionamento de vidros e bancos são desmontandos. Em seguida, a parte opaca, conhecida como lataria, recebe os painéis balísticos. Eles são instalados nas portas, painel inferior, teto, para-lamas, caixa de rodas e painel corta-fogo.

Nas colunas, tampão traseiro, fechaduras, retrovisores e encosto do banco, coloca-se aço inox. Além disso, o material também é fixado em toda a borda do para-brisa, vigia, portas e vidros fixos. Esse procedimento serve para impedir qualquer ponto de vulnerabilidade que possa haver nas dobras do painel.

Na área transparente, coloca-se vidros compostos por lâminas de vidro e polímeros. A quantidade de camadas, no entanto, vai variar de acordo com o nível de proteção desejado pelo cliente.

Veja mais no vídeo abaixo:

Qualquer veículo pode ser blindado?

Sim, todos os modelos de carros podem ser blindados. A única ressalva é que tenham potência superior a 90 HP. Veículos com uma potência menor, como os de motores 1.0, não devem receber essa proteção, uma vez que o peso da blindagem adicionada ao carro acaba reduzindo seu desempenho. Além disso, também pode provocar desgaste acelerado em peças como amortecedores e suspensão.

Quanto tempo demora o processo de blindagem?

O trabalho é realizado em 30 dias, aproximadamente. O ideal é que, durante esse período, o dono visite o carro na fábrica para acompanhar as etapas do processo. Isso acaba gerando uma maior confiança no trabalho realizado, além de servir como garantia para verificar que os procedimentos estão sendo feitos conforme o que foi combinado.

Quais dos níveis de blindagem são os mais recomendáveis?

O nível mais usado no mercado, como vimos, é o III-A, que consegue suportar disparos de pistolas 9 milímetros e Magnum 44. Esse é o nível de proteção mais adequado para os grandes centros urbanos, já que garante uma proteção contra as armas mais usadas para assaltos.

É necessária uma documentação específica para a blindagem de carros?Sim. É necessário que se apresente vários documentos, inclusive atestado de antecedentes criminais, para solicitar a licença obrigatória junto ao Exército Brasileiro.

Quais cuidados eu devo tomar na hora de escolher a empresa que fará a minha blindagem?

Solicite sempre documentos que comprovem que aquela empresa é legalizada pelo Exército Brasileiro, Detran, Polícia Civil e Abrablin (Associação Brasileira de Blindagem). Verifique, também, se os fornecedores que trabalham com ela são igualmente legalizados. Desconfie de preços muito baixos ou propostas fora do padrão. Isso pode acabar comprometendo sua segurança, já que os materiais usados e os serviços prestados podem ser de baixa qualidade.

Por fim, busque por opiniões de outras pessoas que já tiveram experiência com a empresa. Procure na internet sobre a reputação daquele estabelecimento e não hesite em procurar várias opções antes de fechar negócio.

A compra de um carro blindado usado pode ainda garantir uma economia de até 40%. Confira ofertas no Superbid.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui