Como a política afeta o mercado de investimento imobiliário

Qual a renda para financiar um imóvel de 300 mil? Posso compor renda?

Uma das formas mais fáceis de fazer um financiamento imobiliário é se planejar. Isso porque, sabendo quanto você precisa dar de entrada e qual será o valor das parcelas de acordo com sua renda, você evita surpresas e ainda acelera o processo de aprovação de crédito, que se baseia na sua renda familiar. Mas qual será a renda para financiar um imóvel de 300 mil?

As regras da renda para o crédito imobiliário variam de acordo com cada instituição financeira, e em alguns casos, nem sequer é necessário comprovar a renda. Porém, na Caixa, por exemplo, que possui um dos menores juros do mercado, é necessário que as parcelas do financiamento não prejudiquem a sua renda mensal em até 30%.

Confira a seguir qual a renda necessária para quem quer financiar um imóvel no valor de R$300 mil!

Qual a influência da renda familiar na aprovação do financiamento?

Antes de entrar nos valores, você precisa entender qual o peso da renda familiar sobre um financiamento imobiliário. Quando vamos solicitar crédito para um banco, é necessário comprovar sua fonte de renda e provar que você ganha o valor X, para que a instituição tenha alguma segurança de que as parcelas serão pagas.

Qual a renda para financiar um imóvel de 300 mil? Posso compor renda?
a renda familiar é essencial para que o banco saiba se você será capaz de arcar com as parcelas

Com esses dados em mãos, o banco analisa o preço do imóvel desejado para o financiamento e se as parcelas com os juros aplicados comprometem ou não sua renda. Em alguns casos, o banco avalia qual o valor máximo que ele consegue liberar para você.

Isso quer dizer que você precisa ter uma renda que seja compatível com o valor do imóvel que você deseja comprar, lembrando que é possível em alguns bancos, fazer a junção da renda de familiares e amigos para a compra do imóvel.

Qual a renda para financiar um imóvel de 300 mil?

Antes de tudo, tenha em mente que quanto maior for a entrada, menor serão as parcelas e menor a renda necessária.

De modo geral, os bancos solicitam entre 20-30% do valor do imóvel como entrada, sendo possível integrar o seu FGTS para chegar nesse valor. Mas essa exigência não impede que você dê 50% de entrada, por exemplo, fazendo com que a renda comprovada necessária seja menor.

Em casos de famílias de baixa renda, embora seja raro, é possível financiar sem entrada, mas não são todos os imóveis que entram nesse programa e de um modo geral, são casas com valores menores a R$150 mil.

Para o financiamento de um imóvel de R$300 mil, dando uma entrada de 20% no valor de R$60 mil, seria necessário comprovar uma renda de pelo menos R$6.800 para que sua renda não fosse comprometida e o banco liberar o crédito.

Fazendo a simulação

É importante ressaltar, porém, que para ter um valor mais preciso, você deve fazer a simulação no site da instituição financeira informando todos os seus dados pessoais, formas de amortização e entrada.

Você vai perceber que quanto maior for a entrada, menor a parcela e consequentemente, menor será a renda necessária, além de que dependendo do tipo de amortização que você escolher, a renda também poderá ser maior ou menor.

Na simulação também é possível avaliar que quanto menor for sua renda, maior será o valor da entrada e menor o valor que o banco financiará para você.

na hora de fazer uma simulação de financiamento, saiba que quanto maior a entrada, menor será as parcelas
na hora de fazer uma simulação de financiamento, saiba que quanto maior a entrada, menor será as parcelas

Para uma casa de 300 mil, por exemplo, em uma família que ganha 3 mil por mês, a Caixa financia no máximo R$66 mil reais, e o restante você deverá dar como forma de entrada do financiamento.

Como usar a composição de renda para financiar um imóvel de 300 mil?

Como muitas pessoas possuem um salário abaixo do necessário para fazer o financiamento nos bancos, hoje em dia é possível fazer a composição de renda, que nada mais é do que usar a renda do cônjuge, pais e em alguns casos, amigos, para aumentar o valor da sua renda e ser aprovado no financiamento imobiliário.

Se o seu salário é de R$1.300, por exemplo, e seu cônjuge ganha R$1.500, usando as duas rendas é possível comprovar uma renda de R$2.800.

Porém, é importante que você pesquise na instituição na qual você fará o financiamento para quais são as regras de composição, quantas pessoas podem participar, se aceitam pais, cônjuges e amigos, etc.

A partir disso, o banco fará uma análise individual para verificar possíveis restrições nos nomes ou qualquer outro problema que possa impedir a pessoa de compor a sua renda.

Se tudo estiver certo, a renda mensal de todos os compradores são somadas para então seguirem para uma análise de crédito.

O banco então calcula uma parcela que não comprometa mais do que 30% da renda de todos os compradores juntos.

Por exemplo, se a renda somada de todos os compradores for de R$7.000, a parcela não pode ser maior do que R$2.100.

Lembre-se somente de ficar de olho na idade dos compradores, especialmente se você pedir para seu pai ou mãe ajudarem a compor renda. Isso porque, dependendo da idade do comprador mais velho, os juros podem ficar mais altos, já que o financiamento fica mais curto.

Qual a renda para financiar um imóvel de 300 mil? Posso compor renda?

De acordo com as regras de algumas instituições, a soma da idade do comprador mais velho com o prazo do financiamento não pode ultrapassar 80 anos e seis meses. Ou seja, se o comprador tiver 62 anos, o financiamento não pode ser maior do que 18 anos e seis meses.

Depois de ver qual a renda para financiar um imóvel de 300 mil, não deixe de pesquisar as intuições que têm os menores juros do mercado para conseguir um financiamento mais vantajoso, no qual a renda necessária muitas vezes é menor. Caso seja necessário, veja com a instituição a possibilidade de compor renda e verifique quais são as regras nesses casos.

Pensando em financiar sua casa própria? Veja quais são os imóveis disponíveis no site da Superbid e de o primeiro passo rumo a casa nova!

Para mais conteúdos relacionados ao mundo dos imóveis e documentação, clique aqui e acesse mais conteúdos em nosso blog. Além de diversos materiais, você também tem acesso em primeira mão as oportunidades da semana com as atualizações!

Plataformas elevatórias: Tudo o que você precisa saber
Plataformas elevatórias: Tudo o que você precisa saber
Checklist para utilização de plataformas elevatórias
Checklist para utilização de plataformas elevatórias

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.