No mercado, existem diversos modelos de caminhões e veículos de reboque ou semirreboque utilizados por diversas empresas. Aliás, são tantos modelos em questão que até mesmo a sua nomenclatura é capaz de confundir o maior dos experts. Hoje, vamos conversar sobre bitrem, rodotrem e bitrenzão para que você entenda a diferença entre cada um dos modelos.

Afinal de contas, qualquer que seja a sua necessidade de adquirir um dos veículos em questão, é necessário conhecer bem os modelos individualmente, suas vantagens, diferenças e, principalmente, desvantagens. Desta forma, sua compra estará de acordo com o seu propósito e você entenderá melhor o funcionamento da sua frota.

De qualquer maneira, seja você empresário ou caminhoneiro, estudar e avaliar a melhor performance de cada um dessas carretas seria uma vantagem em relação aos seus concorrentes.

Quer saber mais como rodar cada um dos modelos bitrem, rodotrem e bitrenzão? Então coloque o cinto de segurança, encha o tanque de gasolina, faça o check-up, que vamos pegar a estrada agora.

Acompanhe a leitura! 

Bitrem, rodotrem e bitrenzão: o que é um Bitrem?

Antes de entendermos a diferença entre bitrem, rodotrem e bitrenzão, precisamos conhecer cada um destes veículos para facilitar o entendimento de suas particularidades individuais. Sendo assim, vamos iniciar a nossa divisão de tópicos falando um pouco sobre o modelo Bitrem

modelo de bitrem
De forma grosseira, o caminhão tipo bitrem é basicamente um cavalo de força mecânica capaz de puxar outros dois conjuntos de motores

O bitrem nada mais é que a junção de dois modelos do tipo semirreboque (a parte de carga) unidos entre si. Essa união acontece por meio de uma espécie de “quinta roda”, que fica localizada no fundo do primeiro veículo que fará a união do conjunto. Todos esses elementos juntos são tracionados por um modelo de cavalo mecânico.

Aliás, por conta da conjuntura do bitrem, o transporte poderá perder a sua principal característica (união de dois modelos semirreboques) caso o seu motorista transportar apenas um modelo semirreboque na estrutura.

outro modelo de bitrem
O bitrem sempre vai possuir duas articulações. Por isso, ele recebe a alcunha “bi”, referente a dois. Elas são unidas pela “quinta roda” do caminhão e a “quinta roda” do semirreboque

Aqui no Brasil, essa união foi oficialmente regulamentada pela Resolução 68/98 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito). Atualmente, ela segue em vigência pela Resolução de número 211/06, por sua vez alterada pela Resolução de número 256/07.

Aliás, aqui vai uma curiosidade sobre o Bitrem: a cidade de Rondonópolis é nacionalmente conhecida como a “capital nacional do bitrem”. Pois, de acordo com o jornal A Tribuna de Mato Grosso, constam 10.031 unidades de semirreboques registrados na cidade. Já em Cuiabá, contam um total de 5.603 unidades.

bitrem, rodotrem e bitrenzão
Tradicionalmente, o modelo do tipo bitrem possui sete eixos. Estes, por sua vez, podem transportar até 57 toneladas no total. Entretanto, o mercado vem abrindo espaço para um modelo de bitrem cuja força bruta total de transporte pode alcançar até 74 toneladas: o bitrenzão, cujas características você acompanhará dentro desta postagem

Inicialmente, os bitrens que trafegam pelo solo brasileiro foram desenvolvidos em uma versão graneleiro, um modelo de transporte responsável por transportar mercadorias a granel (como milho, grãos, cascalhos, carvão, entre outros).

Por isso, o modelo logo foi ganhando status e popularidade no mercado pois era considerado superior aos demais. Até hoje os principais modelos de bitrem que seguem em atividade continuam em alto status no segmento de transporte de granel.

Os modelos de bitrem, ao todo, não poderão ultrapassar dos 30 metros segundo a legislação brasileira.

Já todos os semirreboques que podem ser atrelados a um bitrem podem ser tracionados a partir de um cavalo-mecânico trucado. Estes, por sua vez, também são interligados graças a um engato do tipo B, também conhecido como quinta roda.

O que é quinta roda?

Durante essa seção, mencionamos muito o termo quinta roda. Para os acostumados, caso queiram, podem pular esse parágrafo. No entanto, caso você seja um novato na área, é importante saber o que é a quinta roda.

A quinta roda é o implemento que ajuda a unir o cavalo a carreta. Ela é inserida na parte de trás do caminhão (ou carreta), sendo fundamental na junção do conjunto do bitrem.

modelo de quinta-roda
O equipamento é considerado como fundamental para a segurança e funcionamento completo de qualquer caminhão ou carreta que acople reboques ou semirreboques em sua conjuntura. Atenção, para navegar com segurança você obrigatoriamente precisará do elemento junto ao seu veículo

Chamamos de quinta roda o implemento que une o cavalo a carreta, tecnicamente colocado na parte traseira do caminhão a quinta roda é peça fundamental do conjunto.

Tipos e aplicações da quinta roda

No mercado, existem dois tipos específicos de quinta roda que você poderá utilizar no seu veículo para formar a estrutura que deseja: o modelo de 2″(duas polegadas) e modelo de 3.5″(três polegadas e meia). Conheça cada uma delas melhor a seguir.

  • Quinta roda de 2″(duas polegadas): O modelo de quinta roda de duas polegadas é sugerido para operações de rodovia em que se utilizem veículos com bitrem ou carretas LS.
  • Quinta Roda de 3″ e 1/2 (três polegadas e meia): o modelo de quinta roda de três polegadas e meia é sugerido para operações realizadas fora da estrada, geralmente em carretas tritem que estejam em estrada florestal ou estrada canavieira.

O bitrem pode ser considerado um caminhão tradicional?

Sim, essa é a uma polêmica pergunta entre os principais conhecedores do gênero. E não, o bitrem não pode ser considerado um caminhão tradicional.

Kramer, personagem de Seinfeld, chocado e tendo a sua imaginação explodindo fazendo alusão a expressão "mindblowing".

Tudo que estamos classificando-os como “caminhões” nesse texto, mas isso é devido a popularização da forma como são chamados. Entretanto, mesmo sendo veículos de grande porte, os bitrem não são caminhões. O termo mais correto para classificá-los é a partir de: carreta.

Sabemos que pode parecer tudo muito parecido, mas existem diferenças claras entre a carreta e os caminhões. O principal ponto de discrepância entre os veículos é o fato de que um deles é justamente um modelo fixo (o caminhão). Enquanto a carreta é um veículo articulado.

Sabemos que não parecem ser diferenças muito gritantes, mas comparar carretas com caminhões é a mesma coisa de comparar laranjas com maçãs. Ok, são parecidos, mas o gosto é definitivamente diferente, não concorda?

Caso não tenha ficado claro, os caminhões, geralmente, são constituídos por uma cabine, motor e a carroceria. Em sua totalidade, eles poderão circular com 29 toneladas no máximo. De acordo com o seu modelo, o peso máximo carregado varia a partir de 12 toneladas e possuir de dois a três eixos.

modelo de tipo de caminhão bitrem, rodotrem e bitrenzão
Os caminhões possuem diversos modelos e tamanhos específicos. Por exemplo, existem caminhões de carroceria aberta, em forma de gaiola, plataforma ou baú, tanque, entre outros

Já as carretas possuem número de eixos que variam de acordo com os semirreboques que estarão na sua conjuntura. O bitrem, como já supracitado, possui dois semirreboques ao todo.

Conheça as variações dos principais tipos de bitrens

Normalmente, os bitrens tem composição por sete eixos. O cavalo mecânico do tipo 6 por 4 é unido a mais dois outros semirreboques, cada um conta com dois eixos. O seu peso total, denominado como Peso Bruto Total Combinado (PBTC, em sigla), varia de acordo com a legislação de cada país.

Dentro do Brasil, o PBTC é de 57 toneladas. Já a capacidade de carga útil, varia entre 38 a 40 toneladas. Esse valor também varia de acordo com o peso do veículo total. O seu comprimento também segue limitação para circulação sem Autorização Especial de Trânsito (AET). Nesse caso, o comprimento limite é entre 17,50 e 19,80 metros no total.

A única obrigação do modelo se refere aos bitrens de nove eixos. Eles devem ser tracionados por uma unidade tratora do tipo 6X4. Eles também devem possuir até três eixos em cada um dos semirreboques na conjuntura.

Agora que você conhece melhor o modelo de bitrem, que tal descobrir como é que você ter a autorização para trafegar com o veículo?

Como dirigir um bitrem?

Fique ciente de uma coisa: é impossível comprar uma carreta e semirreboques e sair por aí dirigindo sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) específica para tal.

Isso porque, além do porte do veículo ser muito maior do que os carros tradicionais, para trafegar o veículo você terá de possuir uma autorização especial para exercer uma atividade remunerada com o seu veículo.

Quer conhecer mais todos os tipos de CNH disponíveis? Clique aqui

A multa para quem dirigir sem o tipo de CNH autorizada para carretas e caminhões equivale a R$ 586,47, e além disso, o condutor também receberá 7 negativos pontos na sua habilitação.

Para dirigir carretas e semirreboques, a CNH indicada é a do tipo E.

Agora que já percorremos bastante os bitrens, que tal conhecer agora as características principais e demais particularidades dos rodotrens?

Bitrem, rodotrem e bitrenzão: conheça o rodotrem

Agora vamos falar um pouco sobre o Rodotrem. O rodotrem é um tipo de caminhão que se enquadra na categoria de combinação veicular rodoviária, já que é composto pela união de um cavalo mecânico com dois – ou mais – tipos de semirreboques.

modelo de rodotrem bitrem, rodotrem e bitrenzão
Existem muitos países que utilizam o rodotrem no transporte, tais como a Austrália, o Brasil, os Estados Unidos e também o México

Na sua divisória, a parte da frente de um semirreboque apoia-se sobre o cavalo mecânico. Já o segundo semirreboque usa a carreta dolly como o apoio. Vale a pena ressaltar que, caso haja outros semirreboques acoplados ao rodotrem, todos eles também utilizarão uma dolly parar o apoio. Todo esse conjunto funcionará como um reboque.

Os rodotrens são utilizados para transportar grandes quantidades de cargas, independente do seu tipo. E neles, o tempo de transporte não é um fator limitante ao veículo devido a sua estrutura robusta.

modelo de rodotrem
Você sabia que no Brasil o limite de PBTC é de até 74 toneladas? Também segundo o PBTC, o comprimento do rodotrem deve girar em torno de 25 e 30 metros. Por isso, para trafegá-lo, será necessário uma autorização especial de trânsito (AET)

No inglês, os rodotrens recebem a alcunha de “road train”, algo como “trem de rodovia” (em tradução livre). Aliás, na Austrália não existe um limite de peso bruto total combinado (PBTC), nem de comprimento. Por isso que na maioria dos rodotrens da terra dos cangurus usam-se composições a 120 toneladas.

Mas a coisa muda bastante no Brasil: aqui é obrigatório o uso do cavalo mecânico com tração nos dois eixos posteriores. Eles também devem ter tração do tipo 6X4. Dessa forma, a potência mínima para um rodotrem atuar é de 74 toneladas.

Ao todo, o rodotrem possui três articulações. Segue a divisão total: uma é a quinta roda do caminhão; a segunda é o engate dianteiro da carreta dolly; e a última é a quinta roda da carreta dolly.

Carreta Dolly

Bastante mencionada nesta seção, a carreta dolly é equipada junto a uma quinta roda ao caminhão na qual ela está conectada, sendo vista sempre por trás dele. Ela também é responsável por ajudar na distribuição de peso do caminhão, dessa forma, ajudando que ele transporte mais carga – sendo efetivamente colaborativa com a Lei da Balança.

modelo de carreta dolly
Modelo tradicional de carreta dolly.

A dolly pode ser usada para conectar o caminhão a um tipo de carreta, que por sua vez, transforma a categoria do caminhão. Uma vez que os dois estão unidos, o caminhão pode ser considerado automaticamente como um rodotrem, que é basicamente uma combinação veicular rodoviária.

E agora que conhecemos melhor o rodotrem, vamos entender o funcionamento do bitrenzão.

Bitrem, rodotrem e bitrenzão: conheça o bitrenzão

Com o nome mais extravagante entre os três modelos apresentados aqui, o bitrenzão é um bitrem de 9 eixos é um conjunto que apresenta duas articulações, que podem ser estruturadas a partir de um cavalo mecânico, que tracionam dois semirreboques engatados entre si por uma quinta roda.

bitrem, rodotrem e bitrenzão
Com o surgimento do bitrenzão não é mais surpresa que o transporte rodoviário de cargas possui uma variedade de combinações de veículos de carga (CVC), e não somente no Brasil

Os 9 eixos do Bitrenzão estão distribuídos de maneira diferente ao Rodotren. A divisão acontece com 3 eixos no cavalo mecânico e mais 3 eixos em cada semirreboque, totalizando os 9 eixos. Além disso, existe uma quinta roda do caminhão e outra quinta roda entre os dois semirreboques, semelhante ao dolly.

De acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), o Bitrenzão tem como carga máxima um PDT de 74 toneladas e 4,40 metros de altura o máximo permitido por lei.

Diante dessa variedade de composições, considerando que todas são regulamentadas e autorizadas pelos órgãos responsáveis, como o Conselho Nacional de Trânsito (COTRAN), vamos tentar esclarecer algumas dúvidas quanto as especificidades de cada modelo.

Presentes na transportação de líquidos, grãos e as mais variadas cargas, o Bitrenzão, o Bitrem de 9 eixos, já possui uma longa trajetória na história rodoviária do Brasil.

História do Bitrenzão

Idealizado por volta dos anos 2000 no Brasil, o Bitrenzão, ou Bitrem de 9 eixos, veio para transformar o transporte de cargas.

Em seu primeiro protótipo, o veículo de carga foi batizado Ladair, em razão do nome do seu idealizador, Ladair Michelon, um dos proprietários da tradicional Transportadora Michelon, que hoje é inexistente.

O Bitrenzão foi inicialmente desenvolvido com uma capacidade peso bruto total (PDT) de 74 toneladas e 27,5 metros de extensão. 

O sucesso foi imediato, considerando a capacidade de carga, e de uma produção de 50 modelos iniciais, popularizou-se e imediatamente cerca de 500 veículos do modelo de Bitrem 9 eixos já circulavam no Brasil.

Conclusão

Deu para entender todas as diferenças entre Bitrem, rodotrem e bitrenzão? Desde a logística, modo de operação, capacidade, tamanho e medidas, entender exatamente o que configura cada tipo de modelo será muito último para você que tenha interesse de expandir a sua frota de automóveis.

Confira oportunidades de bitrem, rodotrem ou bitrenzão no Superbid Marketplace!

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui