transporte de carga viva

Transporte de carga viva: tudo sobre o assunto

O transporte de carga viva é usado especialmente para caminhões que transportam porcos, vacas e bois, mas abrange o transporte de todos os tipos de animais antes do abate ou para comercialização. Para que seja possível realizar esse tipo de transporte, porém, a frota precisa seguir todos os protocolos e recomendações dos órgãos responsáveis.

Em julho de 2020, as empresas que trabalham com o transporte de carga viva receberam um guia minucioso de como fazer o deslocamento dos animais da forma correta, de acordo com os tópicos abordados na Resolução nº 791 do Contran – Conselho Nacional de Trânsito.

Para que você entenda mais sobre as leis vigentes, separamos um post falando mais dos cuidados ao fazer o transporte de carga viva. Confira a seguir!

O que é transporte de carga viva e como funciona?

O transporte de carga viva é o transporte de animais, e deve ser realizado de maneira diferente do transporte de outras mercadorias. Isso porque, além da necessidade de ter um espaço na carroceria modificado para atender todas as necessidades dos animais, o motorista e ajudante devem ter conhecimento e treinamento adequado no assunto para lidar com os bichos.

o transporte de carga viva é o transporte feito de qualquer animal nas estradas
o transporte de carga viva é o transporte feito de qualquer animal nas estradas

Afinal, durante o trajeto, os animais precisam de cuidados específicos, principalmente em viagens longas. Os funcionários, devem, então, estar aptos para alimentar os bichos, oferecer água, limpar o local etc.

Quais os animais mais comuns na carga viva?

Esse tipo de carga abrange todos os animais vivos que são transportados, mas os mais comuns atualmente nas estradas brasileiras são:

  • cavalos;
  • vacas;
  • porcos;
  • bois;
  • aves.

Quais as principais normas para fazer o transporte desse tipo de carga?

As normas foram criadas com base nas denúncias feitas pelas entidades defensoras dos animais em decorrência das más condições de transporte desses bichos nas estradas. Hoje, as principais delas são:

Espaço adaptado

Para transportar cargas vivas, os caminhões devem ter o espaço adaptado para abrigar os bichos com segurança e conforto durante toda a rota que irá realizar. Com isso, a carroceria deve abrigar todos os animais em pé, em sua posição natural, além de ter espaço suficiente para que eles possam se alimentar e também deitar para dormir.

Esses cuidados ajudam a diminuir o sofrimento e estresse do animal durante o transporte, especialmente por permitir que ele possa ter uma vivência mais semelhante à natureza.

Visibilidade

Outra norma é que os animais possam ter a visibilidade parcial durante o trajeto, a fim de que o ar circule livremente dentro da carroceria, além de ser uma forma mais fácil de ajudar na hora de identificar possíveis problemas com a carga, como brigas e machucados.

é importante que os animais tenham um certo grau de visibilidade
é importante que os animais tenham um certo grau de visibilidade

Essa visibilidade pode ser oferecida por meio de carrocerias semi-abertas ou com vãos na parte superior.

Sistema de ventilação

Caso os animais sejam transportados em caminhão baú, a carroceria deve contar com controle de temperatura e ventilação, para evitar que os bichos desenvolvam quaisquer dificuldades para respirar, além de minimizar os danos causados pelo calor excessivo durante a viagem.

Piso adequado

A recomendação é que o caminhão tenha o piso adequado para que os animais não sofram quedas durante o trajeto, e para minimizar os impactos em curvas. Os pisos que evitam que isso aconteça são os pisos de material antiderrapante.

Proteção contra fuga

Esse tipo de cuidado é essencial especialmente em caminhões que fazem o transporte de aves, que tendem a fugir com mais facilidade durante o trajeto e podem acabar pulando na pista e sendo atropeladas, muitas vezes causando graves acidentes.

Neste tópico também é abordado a necessidade de proteção contra sol excessivo e chuva, especialmente se a viagem durar vários dias.

Transporte de carga viva: Travas de segurança

A porta de embarque e desembarque do caminhão deve ter travas de segurança para evitar que os animais escapem na estrada ou durante as pausas em postos de gasolinas, especialmente em casos de caminhões com cargas maiores como gados, que tendem a causar graves acidentes na estrada.

Identificação e número de emergência

Todo caminhão que trabalha com transporte de carga vida deve ter uma identificação específica desta atividade em sua carroceria de forma bem visível, além de ter onúmero de emergência exposto na parte de trás da carroceria para que todos os motoristas que estão em trânsito possam ver caso necessário.

Com isso, em casos de acidentes, os outros motoristas podem conseguir pedir socorro com mais agilidade, ou avisar sobre problemas que podem inclusive evitar acidentes.

Transporte de carga viva: Certificação

Para realizar o transporte desse tipo de carga, o caminhão precisa ser homologado pelo DETRAN e contar com o Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito – CAT – específico para a sua modalidade. Sem esse documento, as autoridades que atuam nas estradas não conseguem se certificar de que o caminhão e o motorista estão aptos para realizar esse tipo de transporte.

Quais os principais problemas que um motorista de transporte de carga viva pode enfrentar?

De modo geral, o transporte de carga viva, quando dentro das normas, não causa grandes transtornos para os motoristas e responsável pela frota. Porém, existem alguns problemas que podem acontecer ao longo do caminho e causar grandes prejuízos para as empresas.

um problema muito comum de não seguir as normas é perder a mercadoria
um problema muito comum de não seguir as normas é perder a mercadoria

O principal deles é a perda das mercadorias. De acordo com alguns estudos, o transporte inadequado de cargas vivas pode causar até 20% de perdas financeiras devido a danos, mortes e perdas da carga.

Isso acontece especialmente em viagens muito longas, já que a recomendação é que o transporte de animais sem pausas dure, no máximo, 20 horas seguidas. Depois desse tempo, o motorista deverá fazer uma pequena pausa para que os animais descansem, evitando que fiquem estressados e agitados dentro da carroceria.

O responsável pelo rastreamento da carga deve levar em conta quantas horas a viagem levará até chegar ao destino final e planejar essas paradas estratégicas para evitar a perda da mercadoria, otimizando o trajeto e deixando a viagem mais agradável para os animais.

Outro problema comum é a quantidade de animais transportados ao mesmo tempo na carroceria, o que causa desconforto e pode fazer com que eles se machuquem e até acabem morrendo pela falta de espaço. Sendo assim, é necessário levar em conta a recomendação de quantidade de animais de acordo com a legislação e suas normas.

Agora que você aprendeu mais sobre o transporte de carga viva e viu que seguindo as normas corretamente os problemas durante o trajeto ficam menores, não deixe de levar em conta todos os aspectos que envolvem a segurança e conforto do animal durante o trajeto, minimizando os riscos e as perdas da sua carga.

Para mais conteúdos e dicas relacionado ao mundo dos transportes, clique aqui e acesse outros conteúdos disponíveis no blog Superbid!

Plataformas elevatórias: Tudo o que você precisa saber
Plataformas elevatórias: Tudo o que você precisa saber
Checklist para utilização de plataformas elevatórias
Checklist para utilização de plataformas elevatórias

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *