Operar uma empilhadeira não é fácil. Além de existirem diversos modelos, o veículo é usado no transporte e armazenamento de cargas, o que aumenta a responsabilidade do operador do equipamento.

Por isso, uma série de exigências e cuidados são necessários para que alguém tenha a autorização para operar uma empilhadeira. 

É preciso ter CNH para operar uma empilhadeira?

A Carteira Nacional de Habilitação do Brasil conta com cinco categorias, que contemplam motos, carros, vans, ônibus, caminhões e outros veículos.

Esses, por sua vez, possuem RENAVAM (Registro Nacional de Veículos Automotores), que é feito pelo Detran de cada estado, a fim de cadastrar todos os veículos do país.

Os veículos comuns são cadastrados e recebem placas para poder trafegar em vias públicas. Como as empilhadeiras não são veículos feitos para andar nesse tipo de via, elas não têm esse registro, o que permite que um operador que não possua CNH possa dirigir o equipamento.

NR 11

Se a CNH não é exigida, qual a documentação necessária que alguém precisa ter para poder operar uma empilhadeira? A resposta é simples: a Norma Regulamentadora 11.

A NR 11 (Transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais) é a norma que estabelece para todas as empresas que tenham empregados regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) requisitos mínimos de segurança no trabalho.

Esses requisitos atendem operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras.

Dentro dessa norma, também há a instrução de que os operadores de equipamentos de transporte, com força motriz própria, devem ter treinamento específico, que o habilita a função.

Além disso, o operador deve passar pelo Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) para estar fisicamente apto a utilizar a máquina com a qual ele trabalhará.

Operar uma empilhadeira requer cuidados, já que os trabalhos feitos nessa função podem causar acidentes sérios. Para que isso não aconteça, o treinamento é dado em forma de curso.

Como funciona o curso?

O curso para operar empilhadeiras segue a NR 11, com suas instruções e necessidades a serem contempladas.

No entanto, a responsabilidade pela divisão de aulas e conteúdos de cada curso fica sob responsabilidade da instituição que monta as turmas e oferece o conteúdo.

Por isso, é possível encontrar cursos com diferentes formatos na internet. Existem, por exemplo, cursos que variam entre 16 e 32 horas semanais, variando entre 2 a 5 dias.

Todos têm como objetivo aperfeiçoar profissionalmente o aluno para que ele consiga exercer a função seguindo procedimentos, legislação técnica e normas de segurança, saúde e meio ambiente.

Com aulas teóricas e práticas, os alunos desenvolvem seu conhecimento na função sobre a Norma Regulamentadora 11, o equipamento, seus cuidados e como dirigir, operar e fazer a manutenção dos equipamentos.

Vale a ressalva de que, mesmo sem exigir a CNH para operar uma empilhadeira, os cursos exigem pelo menos a habilitação na categoria B. 

Isso acontece para facilitar o conteúdo do curso, considerando que quem sabe dirigir um carro já tem conhecimentos básicos sobre o funcionamento de um veículo motorizado.

Conteúdo do curso

Os cursos seguem propostas distintas, mas apresentam conteúdos próximos que atendem às necessidades da profissão.

Dentre as aulas, os seguintes conteúdos são aplicados:

  • Legislação vigente (NR 11) – Conceitos e aplicações;
  • Componentes da empilhadeira;
  • Equilíbrio da empilhadeira;
  • Centro de carga;
  • Capacidade de carga;
  • Descrição técnica do equipamento;
  • Acidentes com empilhadeira – Causas e consequências;
  • Controles e instrumentos;
  • Dispositivos auxiliares para empilhadeira;
  • Noções de manutenção da empilhadeira;
  • Segurança na operação da empilhadeira;
  • Sistema elétrico e hidráulico;
  • Substituição ou recarga de gás;
  • Triângulo da estabilidade;
  • Gráfico de carga;
  • Uso obrigatório de EPIs e EPCs;
  • Responsabilidades civil e criminal dos operadores;
  • Classificação quanto a combustíveis;
  • Tipos de motores;
  • Aplicação de checklist diário obrigatório;
  • Técnicas de condução;
  • Condução com segurança em manobras em áreas livres;
  • Condução com segurança em manobras em corredores;
  • Empilhamento e desempilhamento de cargas.

Após aulas teóricas e práticas, são feitas provas nos dois quesitos, determinando a aprovação ou não dos alunos. 

Cartão de identificação e validade do curso

A partir daí, os alunos passam a poder operar as empilhadeiras, usando seus conhecimentos no cotidiano da profissão. Por isso, são feitos cartões de identificação para cada funcionário dessa função.

Manter os garfos no chão é um dos cuidados que a pessoa que vai operar uma empilhadeira deve tomar
Manter os garfos no chão é um dos cuidados que a pessoa que vai operar uma empilhadeira deve tomar

Segundo a NR 11, item 11.1.6 “os operadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horário de trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível”.

Esse cartão tem vencimento de um ano. Após esse período, o funcionário deve passar por uma revalidação, com exame de saúde completo pago pela empresa.

Vale ressaltar que o curso em si não tem validade de um ano, mas o cartão sim. Cada empresa define o modelo do seu cartão. As informações importantes e que devem estar no cartão são:

  • Nome completo do operador;
  • Função na empresa;
  • Foto do funcionário,
  • Data de validade do cartão.

Reciclagem do operador

A boa prática em Segurança do Trabalho e Prevenção de Acidentes faz com que seja necessário uma reciclagem periódica para o profissional, para aprofundamento dos principais pontos de segurança e a fim de evitar vícios adquiridos ao longo do tempo desenvolvendo a atividade.

A recomendação é que o operador de empilhadeira faça uma reciclagem todo ano, juntamente com o vencimento do cartão de identificação.

Dicas de cuidados e segurança

Preparamos uma lista com alguns cuidados que devem ser tomados pelo operador de empilhadeira.

  • Quando estiver com alguma carga, sempre dirigir com ela apontada para cima;
  • Não ande com os garfos erguidos sem necessidade;
  • Tome cuidado com a altura em excesso da carga transportada;
  • Quando estiver em uma rampa, sempre dirija em linha reta;
  • A carga deve sempre estar estável;
  • Mantenha uma velocidade constante e controlada;
  • Procure evitar obstáculos pelo caminho como lombadas, buracos, pedras ou trepidações;
  • Transporte apenas cargas que te ofereçam segurança, dentro da capacidade do equipamento;
  • Reduza a velocidade e evite manobras em rampas;
  • Evite trafegar em superfícies molhadas ou oleosas;
  • Não transporte cargas mal posicionadas nos garfos ou elevadas;
  • Em casos de chuva, reduza drasticamente a velocidade, para que você tenha maior controle;

Oportunidades e setores de trabalho

Quem tem o curso para operar uma empilhadeira pode exercer a função em diversos setores e locais. Confira:

  • Armazéns;
  • Comércios atacadistas;
  • Comércios varejistas;
  • Construção civil;
  • Depósitos;
  • Distribuidoras;
  • Estoques;
  • Fábricas;
  • Galpões;
  • Indústria moveleira;
  • Logísticas;
  • Montadoras;
  • Portos,
  • Transportadoras.

Salário médio de operadores de empilhadeiras

Todo mundo que busca uma profissão, ou trocar de área, pesquisa alguns aspectos da função. Para operar uma empilhadeira não é diferente. 

E, dentre os itens pesquisados, o salário é um dos mais importantes. Afinal de contas, ele define o valor do seu trabalho e o seu rendimento mensal.

De acordo com levantamento feito pelo site salario.com.br, um operador de empilhadeira ganha, em média, R$ 1767,69 no Brasil.

Esse salário leva em consideração uma jornada de trabalho de 44 horas semanais e é baseado em um levantamento retirado do CAGED da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, (antigo MTE – Ministério do Trabalho e Emprego) entre os meses de janeiro a agosto de 2019.

A faixa salarial da profissão varia de acordo com cada estado ou região do Brasil
A faixa salarial da profissão varia de acordo com cada estado ou região do Brasil

O CAGED é a sigla para Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, que é o dispositivo legal do MTE que acompanha a situação da mão de obra formal no país.

Faixa salarial

A faixa salarial de um operador de empilhadeira varia entre R$ 1.500,00 e R$ 2671,38, considerando profissionais com carteira assinada em regime CLT.

A média leva em conta acordos, convenções e dissídios do ano de 2019.

Perfil do trabalhador

O profissional mais recorrente na profissão é o de um trabalhador com 31 anos, do sexo masculino e com ensino médio incompleto, que trabalha 44 horas semanais em empresas do segmento de transporte rodoviário de carga exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional.

Além desse segmento, há contratações para operador de empilhadeira nos seguintes setores:

  • Processamento industrial do fumo;
  • Comércio varejista de materiais de construção em geral;
  • Organização logística do transporte de carga;
  • Armazéns gerais – emissão de Warrant;
  • Depósitos de mercadorias para terceiros, exceto armazéns gerais e guarda-móveis;
  • Carga e descarga;
  • Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios – supermercados;
  • Locação de mão-de-obra temporária,
  • Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas.

Vale a ressalva que existem nomenclaturas diferentes para o cargo, como Operador de empilhadeira elétrica, operador de máquina empilhadeira, motorista de empilhadeira e outros.

Agora que você já sabe tudo sobre a operação de empilhadeiras, visite o Superbid Marketplace para ver nossas melhores ofertas da máquina!

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui