Riscos de beber e dirigir
|

Fatos para pensar antes de combinar bebida e direção

Misturar bebida e direção é uma prática extremamente arriscada, e justamente por isso proibida no Brasil por lei (art. 165 do CTB). Além da possibilidade de suspensão da CNH e pagamento de multas, a combinação pode causar acidentes graves e fatais. 

Continue a leitura para conferir 6 fatos que você deve saber antes de combinar bebida alcoólica e direção. 

1 – Bebida e direção: o álcool interfere na atenção e na atividade psicomotora

Dirigir um veículo é uma atividade que requer atenção plena e total capacidade psicomotora, mesmo em ruas com pouco movimento, pois são muitos os fatores envolvidos: além da direção em si, a sinalização necessária, atenção aos retrovisores e aos demais veículos e pedestres que circulam na mesma área, etc.

No caso da direção de motocicletas, há também a questão do equilíbrio. 

O álcool e direção não combinam, nunca!

Ainda que sob a ingestão de pequenas quantidades de álcool, a atenção e agilidade mental requeridas para conciliar tudo isso podem ser comprometidas. 

2 – As estatísticas são alarmantes em relação a bebida e direção

As chances de se envolver em um acidente são muito maiores quando o motorista dirige após ingerir bebida alcoólica. Mais de 50% dos acidentes de trânsito que acontecem no Brasil envolvem alguém dirigindo alcoolizado. 

A principal causa de morte entre jovens de 16 a 20 anos são os acidentes automobilísticos associados ao consumo de álcool. A média é mais do que o dobro maior quando comparada com pessoas maiores de 21 anos.

Cadastre-se no site

Os dados são do Manual de Orientação  sobre o impacto das bebidas alcoólicas para a saúde da criança e do adolescente, lançado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

3 – Beber pode desregular o sistema nervoso 

Como visto no primeiro item, a interferência das bebidas alcoólicas no organismo pode gerar consequências. Algumas delas são a inibição da liberação de um neurotransmissor chamado glutamato, responsável pela regulação de um outro neurotransmissor, o GABA (ácido gama-aminobutírico).

O resultado disso pode ser a perda da coordenação motora e autocontrole, o que explica, por exemplo, porque as pessoas tendem a perder o equilíbrio e ficam mais violentas quando estão sob efeito do álcool. 

Beber pode desregular o sistema nervoso

Conforme a concentração da substância no sangue aumenta, diversos sintomas podem aparecer, tais como: diminuição das funções nervosas, comportamento incoerente ao executar tarefas, diminuição da capacidade de discernimento e perda da inibição.

Além disso, entorpece o fisiológico de quase todos os sistemas, reflexos mais lentos, dificuldade de coordenação e redução da força muscular, redução da capacidade de tomar decisões racionais ou de discernimento, diminuição da paciência, problemas de movimento e alteração de algumas funções visuais, entre outras.

As informações são do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA). Já dá para ter uma noção das consequências disso tudo para uma pessoa alcoolizada que está no volante, não é?! 

Em casos mais extremos de consumo excessivo, outros danos podem ser observados, como letargia profunda, perda da consciência, parada respiratória e até mesmo morte em consequência da insuficiência respiratória. 

4 – Os efeitos do álcool podem ser mais intensos em jejum 

O álcool pode ter efeito mais ou menos intenso de acordo com o organismo de cada pessoa que o consome, mas é fato que a substância chega mais rápido à corrente sanguínea quando o indivíduo está há horas sem comer nada.

Quando ingerida com o estômago vazio, a bebida alcoólica passa rapidamente pelo intestino delgado, sendo absorvida e provocando um pico elevado de concentração no sangue.

Por isso é sempre indicado ingerir bebida estando bem alimentado, de maneira que os riscos sejam menores. Mas essa indicação só vale, é claro, para quem não pretende pegar no volante, do contrário o ideal é não consumir bebida de nenhuma forma, estando alimentado ou não. 

5 – O álcool pode ser decisivo na ocorrência de acidentes

Levando em conta os efeitos da bebida alcoólica no organismo, como a diminuição da atenção do condutor e a lentidão dos seus reflexos, é de se esperar a sua interferência na ocorrência de acidentes, como mostram as estatísticas. 

Beber e dirigir pode elevar as chances de acidente automobilístico

Quanto mais álcool um motorista ingerir, mais longo será o tempo para que ele tenha uma reação sob uma situação de perigo, como em uma ultrapassagem, ou quando uma pessoa, animal ou outro veículo cruza a sua frente, por exemplo.

Isso resulta em uma menor probabilidade de conseguir evitar uma colisão, causando um acidente ou atropelamento. 

6 – Esperar o efeito do álcool passar é a melhor solução

Levando em conta todos os fatos até aqui apresentados, o que fazer quando dirigir é necessário após ingerir alguma quantidade de bebida?

A melhor recomendação sempre será deixar o volante para alguém que não tenha bebido, ou então optar por pegar um táxi ou carona para voltar para casa.

Além dessas opções, a única coisa que pode deixar uma pessoa que bebeu em condições para dirigir é o tempo.

Se não houver outra alternativa, a melhor solução é esperar o efeito do álcool passar. Dessa forma você evita colocar a sua vida e a de outras pessoas em risco.  

O aplicativo Motorista Consciente pode ajudar os condutores nessa situação. Ao informar alguns dados pessoais, como idade, peso, sexo, o tipo de bebida ingerida, a hora e a quantidade.

Cadastre-se no site

O sistema calcula quanto tempo você deverá esperar para pegar na direção novamente, de forma segura e sem riscos de ter vestígios de álcool identificados no bafômetro.

O app foi desenvolvido a partir da Lei Seca, é gratuito e pode ser encontrado em qualquer loja online de aplicativos.

Para mais dicas valiosas como essa, clique aqui e acesse o blog Superbid. Um site repleto de conteúdo que pode auxiliar você de diversas formas!

Teste Psicotécnico: tudo o que você precisa saber
Teste Psicotécnico: tudo o que você precisa saber
O que acontece quando um imóvel não é arrematado em leilão?
O que acontece quando um imóvel não é arrematado em leilão?

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.